Asas dos Sonhos

Junção de letras na expressividade  de sentimentos. *Nadir  D'Onofrio*

Textos



Quando eu deixar de existir, voltar, a ser pó gostaria de
ter minhas cinzas depositadas, sobre o mar.
Levarei em minha bagagem, saudade das pessoas que amo, e aqui deixarei, também, as incertezas, dúvidas do que poderia ter sido concretizado, e não foi.
Por falta de arrojo, medo, quem sabe?
Esperanças dizimadas, trabalhos recusados,
mordomias deixadas de lado...
O amor, não vivido, quiçá, por já ter tido, o coração partido!
Como saber, se erramos, acertamos?
Entendo que somos, unos em essência, pensamentos divergem.
Quando acho que estou acertando, outras pessoas,
podem entender que estou errando, difícil definir parâmetros.
Se percorri a via principal, ou, se peguei atalhos, e me dei mal, nessa altura da vida, já não tem muita importância, o tempo passou, como um corcel, a galope!
Caminhos opostos, no entanto, o final da jornada este sim, é igual a todos os seres. Chega-se ao cume, sempre só, ai poderei olhar para trás
perceber minhas falhas que espero sejam gravadas, a ferro e fogo no subconsciente de minha alma.
Quem sabe na próxima vinda eu aqui chegue, mais estruturada receba como  Dharma, renascer, e viver próxima a você.
Ser a mulher escolhida, amada, para trazer ao mundo
seus filhos, ou somente, a amante desejada!
Que possa estar, bem junto de tua essência...sinto que completaria a minha...
Estarei certa, ou, errada?

Nadir A D'Onofrio
01/11/2009*7,24h
Serra Negra / SP



Imagem Net, sem constar autor, restrição ao uso.
Respeite Direitos Autorais
Nadir DOnofrio
Enviado por Nadir DOnofrio em 01/07/2016
Alterado em 15/04/2018
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras