Asas dos Sonhos

Junção de letras na expressividade  de sentimentos. *Nadir  D'Onofrio*

Textos


 

Nostálgica estação do ano!
Com tardes de temperaturas, amenas, a brisa que vem do mar sopra, com maior intensidade.
Caminhando pelo longo jardim, perdida, em meus  pensamentos detenho-me por instantes apreciando, as folhas que se soltam ao sabor do vento. Minha atenção nesse momento é, voltada para uma em especial, praticamente só no galho, as demais já haviam caído.  Fico intrigada ela, balança, balança e não cai!
Num impulso me aproximo, chacoalho, com força aquele galho.  Queria leva-la comigo, para minha surpresa meu esforço de nada adiantou, a folha não caiu.
Nova tentativa, sem resultado sento-me no gramado, penso, ficarei esperando todas já caíram, e ela teima permanecer terá que se desprender!
Percebo que o sol já se pôs no horizonte, a noite se apresenta e começo a me afastar do local, frustrada...
Alguns passos adiante, parei, olhei para trás foi nesse momento que vi, a folha se desprender, não tive dúvidas voltei e a recolhi do chão.
Segurando-a entre as mãos pensei, na importância real, na existência de cada ser.
O tempo certo que temos de aguardar para amadurecer!
De nada adianta precipitarmos os fatos eu forcei uma situação, balançando o galho da árvore e, a despeito disso nada sucedeu, no entanto quando pensei que que a folha não cairia ela, se  desprende como que, bailando, feliz!
Satisfeita, por ter expirado seu tempo de permanência, dependurada.
Ficou firme no galho, enquanto o sol estava presente parecendo querer, lá, se manter, tal, sentinela prestando guarda, ao astro-rei.
Foi somente no momento que ele deixou de brilhar, descendo na linha do horizonte que a folhinha, num último suspiro se libertou.
Quisera poder chegar ao final de minha jornada, dessa mesma maneira!
Consciente, feliz, por saber que meu tempo havia terminado eu partiria, com a certeza de ter cumprido, a contento minha missão nesse planeta.
Olharia pela última vez o sol e, agradeceria, por todos os dias que iluminou a minha vida.
Tudo o que representou, contribuiu, para minha existência sadia.
Enfim... morreria feliz...

Nadir D'Onofrio
14/04/2005
Santos -SP



Imagem Net, sem constar autoria, restrição ao uso
Respeite Direitos Autorais
Nadir DOnofrio
Enviado por Nadir DOnofrio em 02/07/2016
Alterado em 16/07/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras